MANDRÁGORAS E TRONQUILHOS: HERBOLOGIA OU MAGIZOOLOGIA?

Atualizado: Jul 17


Figura 1 - Arte por Vladislav Pantic


Existe um tópico que frequentemente cai nas avaliações dos Níveis Ordinários de Magia (NOM´s) e sobre o qual abordaremos na aula de hoje: a confusão sobre a ciência mágica que deve estudar Mandrágoras e Tronquilhos. Caso não se lembre, os NOM´s são uma avaliação específica para bruxas e bruxos do quinto ano de formação. Foi primeiramente adotada em Hogwarts, porém, esse modelo de sucesso já se espalhou por outras escolas de bruxaria mundo afora.

Detalhes à parte, existe um tema que eu tenho absoluta certeza de que vai cair na sua prova de NOM: por que os Tronquilhos são estudados pela Magizoologia e não pela Herbologia? Já havia pensado sobre isso? Vou te explicar abaixo.

A ciência mágica costuma agrupar os seres vivos com características em comum. No Reino Plantae, por exemplo, estão os vegetais – Mimbulus mimbletônia, ditamno, sangue de dragão, lavanda, mandrágora, entre tantos outros. A característica primordial para fazer parte desse grupo é ser feito por células eucariontes vegetais e realizar a fotossíntese (uma via metabólica para produzir açúcares, mas falaremos sobre isso em outra aula) (TAIZ et al., 2017). A Herbologia estuda com profundidade os integrantes desse grupo.

No Reino Animalia estão os animais (fantásticos ou não) – pássaro-trovão, occami, girafa, pelúcio, rinoceronte, aranha, seminviso, Tronquilho, entre tantos outros. A característica principal desse grupo é ser feito de células eucariontes animais e realizar a ingestão de nutrientes do meio (heterotróficos) (REECE et al., 2015). A Magizoologia estuda com muita atenção as características e os comportamentos desses seres.

É nesse momento que você se questiona: E o Tronquilho? Ele tem folhas! É verde! Não seria um vegetal?

Existem alguns animais (poucos, já adianto) que conseguem a proeza de também realizar a via da fotossíntese, assim como as plantas. Isso mesmo! Da mesma maneira que a família dos insetos afídeos pode produzir energia por meio de luz, pelo fato de serem os únicos animais a produzirem carotenoides, os Tronquilhos têm a capacidade de produzir energia às custas da luz solar.

Nos Tronquilhos, a fotossíntese não é a via metabólica principal e eles só fazem isso em condições específicas. Tronquilhos possuem um estômago que ocupa boa parte de seu interior. A dieta deles é composta por microinsetos, mas também costumam ser alimentados com ovos de fada e bicho-de-conta – quem os oferece são bruxos e feiticeiros interessados em acalmá-los, já que o tronco da árvore onde moram pode ser utilizado para fazer varinhas.



Figura 2 - Arte por Framestore Art Department


Caso eles passem por alguma situação de baixa disponibilidade nutricional, a via secundária da fotossíntese é ativada, de modo complementar, da mesma forma que ocorre com os insetos afídeos. Em contrapartida, mandrágoras não possuem estômago e são incapazes de se alimentar de qualquer outra coisa que não seja luz solar e nutrientes absorvidos pelas raízes (por mais que seu formato humanoide nos sugira que ela é um animal). Nas mandrágoras, a via da fotossíntese é principal e única fonte de produção de alimento e, consequentemente, de energia.


Espero que tenham entendido com mais profundidade o motivo pelo qual os Tronquilhos são objeto de estudo da Magizoologia e as Mandrágoras são foco de estudo da Herbologia. Nos vemos na próxima aula!


Saudações aromáticas,

Prof. Helder Carvalho

Biólogo, Professor de Herbologia e Poções

Mestre em Ciências pela Fiocruz/RJ

@helderscarvalho


PORTAIS CONSULTADOS:

ESALQ/USP | Revista Super Interessante | Potterish.

LIVROS:

REECE, J. B. et al. Biologia de Campbell. 10. ed. Porto Alegre: Artmed, 2015.

TAIZ, L. et al. Fisiologia e Desenvolvimento Vegetal. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2017.


380 visualizações1 comentário

Hocus Pocus - Magia é o nosso negócio

Fortaleza - CE

Email: hyagovianacontato@gmail.com

  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco